Freccia participa de reunião do Centro Integrado de Ações contra a Covid-19

Centro foi instalado pelo governo do estado para lidar com a pandemia de forma conjunta com os municípios

O prefeito de Palhoça, Eduardo Freccia, participou da reunião que deflagrou o início de operação do Centro Integrado de Ações contra a Covid-19, instalado pelo Governo do Estado em resposta ao aumento do número de casos de infecção pelo novo coronavírus na Grande Florianópolis. O encontro aconteceu na tarde desta quinta-feira (11), no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), na sede da Defesa Civil, em Florianópolis.

A reunião contou com a participação do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro; do chefe da Casa Civil, Eron Giordani; além de outros representantes do Governo do Estado e das cidades de Florianópolis, São José, Biguaçu e Santo Amaro da Imperatriz.

Freccia comentou que o momento exige a união de forças e esforços, e por isso ofereceu ao governador as estruturas da unidade de pronto atendimento (UPA) do Bela Vista e da UPA Sul (que está em fase final de construção) para a instalação de leitos de UTI. Somando os dois espaços, é possível instalar até 20 leitos, ampliando a capacidade de atendimento da população.

O prefeito também solicitou apoio para realizar a fiscalização necessária para garantir o cumprimento do decreto 1200/2021, que restringiu ainda mais as atividades permitidas em território catarinense neste momento da pandemia. “Estamos solicitando apoio do Governo do Estado com maior efetivo da Polícia Militar, para que auxilie o município com a fiscalização para que tenha efetividade o cumprimento do decreto”, considera o prefeito.

Durante a reunião desta quinta-feira (11), foram criados grupos de trabalho dentro do Centro Integrado de Ações contra a Covid-19, com a participação de representantes de todas as cidades da Grande Florianópolis, em áreas temáticas: Fiscalização, Alta Complexidade e Comunicação. Os membros dos grupos de trabalho farão reuniões diárias para avaliar o cenário e executar as ações que entenderem necessárias, de forma integrada.

Os integrantes dos grupos de trabalho vão levar assuntos que sejam do interesse coletivo. Não serão discutidas demandas particulares ou a necessidade de destinação de recursos aos municípios de forma isolada. A ideia é a de formar fóruns de execução, com autonomia para a operação de atividades.

(Fonte: SECOM/PMP)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*