CAMERATA ABRE NESTA SEXTA A TEMPORADA DE CONCERTOS

Quatro meses depois de apresentar em Florianópolis o seu último concerto erudito, a Camerata Florianópolis retorna ao palco do CIC nesta sexta-feira, às 20h, para o primeiro espetáculo de música clássica do ano, onde serão interpretadas obras de grandes gênios como Beethoven, Schubert e Glinka.

CAMERATA ABRE NESTA SEXTA A TEMPORADA DE CONCERTOS

 

Quatro meses depois de apresentar em Florianópolis o seu último concerto erudito, a Camerata Florianópolis retorna ao palco do CIC nesta sexta-feira, às 20h, para o primeiro espetáculo de música clássica do ano, onde serão interpretadas obras de grandes gênios como Beethoven, Schubert e Glinka. É a orquestra retomando a sua origem Clássica e abrindo a Temporada de Concertos 2018.

Quatro meses depois de apresentar em Florianópolis o seu último concerto erudito, a Camerata Florianópolis retorna ao palco do CIC nesta sexta-feira, às 20h, para o primeiro espetáculo de música clássica do ano, onde serão interpretadas obras de grandes gênios como Beethoven, Schubert e Glinka. É a orquestra retomando a sua origem Clássica e abrindo a Temporada de Concertos 2018. O espetáculo tem em seu programa a Sinfonia nº 5 de Beethoven, a Sinfonia “Inacabada” de Schubert e a Abertura da Ópera Ruslan e Ludmila, de Glinka.

 

Sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca, esse será o primeiro espetáculo de uma série de atrações programadas para este ano, que inclui ainda a estreia da ópera rock Frankenstein, do compositor Alberto Heller, diversos concertos de música clássica e de gênero popular, parcerias com grandes artistas da MPB, balé, além de turnês por municípios do interior de Santa Catarina e outros estados do Brasil.

 

Sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca, esse será o primeiro espetáculo de uma série de atrações programadas para este ano, que inclui ainda a estreia da ópera rock Frankenstein, do compositor Alberto Heller, diversos concertos de música clássica e de gênero popular, parcerias com grandes artistas da MPB, balé, além de turnês por municípios do interior de Santa Catarina e outros estados do Brasil. A apresentação desta sexta tem patrocínio da WOA Empreendimentos Imobiliários, Intelbras e Prefeitura Municipal de Florianópolis, por meio da Fundação Franklin Cascaes, conta com o apoio cultural do Angeloni, apoio da Fundação Catarinense de Cultura e realização do Ministério da Cultura.

O programa inicia com a Ópera Ruslan e Ludmila, de Mikhail Glinka. Uma composição que retrata a mitologia e o orientalismo da época, presentes na sonoridade da obra.  Em seguida, a “Inacabada” Sinfonia nº 8 em si menor, d. 759, de Franz Schubert. Como o nome já sugere, a obra não teria sido concluída pelo compositor, pois existem apenas os dois primeiros movimentos.

 

O programa inicia com a Ópera Ruslan e Ludmila, de Mikhail Glinka. Uma composição que retrata a mitologia e o orientalismo da época, presentes na sonoridade da obra.  Em seguida, a “Inacabada” Sinfonia nº 8 em si menor, d. 759, de Franz Schubert. Como o nome já sugere, a obra não teria sido concluída pelo compositor, pois existem apenas os dois primeiros movimentos. Ela só se tornou conhecida anos depois da morte de Schubert e, ainda assim, é interpretada como um grande sucesso.  E, para concluir, a Sinfonia nº 5 em dó menor op. 67, de Ludwig Van Beethoven, uma obra do Século 19, que até hoje é lembrada e executada por orquestras mundo afora. Ela é considerada a mais célebre de todas e traz em cada nota musical o romantismo de Beethoven, o íntimo, as dores e os sonhos, por isso é encantadora.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*