ATA Pedra Branca forma seu primeira faixa preta

A academia de Taekwondo Songahm, localizada no Passeio Pedra Branca, em Palhoça, realizou na manhã do último sábado (25), no Complexo Aquático da Unisul, a tradicional troca de faixas, momento em que os alunos apresentam ao júri os conhecimentos adquiridos, e sua evolução na arte marcial. Entre os destaques, a entrega da primeira faixa preta a um aluno formado pela academia.

Após quatro anos de atividades, comemorados em junho deste ano, a academia liderada pelo professor Deives Vidart, faixa preta 4º Dan, realiza a primeira cerimônia de entrega de faixa preta a um aluno formado na escola. Pedro Vila Nova, 16 anos, recebeu o seu novo Dobok (Kimono) e a faixa preta com o seu nome, na presença de familiares, amigos e colegas.

“O Taekwondo Songahm tem como missão melhorar o mundo formado um faixa preta por vez. Eis o momento que tanto esperamos e trabalhamos para conquistar. O caminho é longo, mas a determinação, vontade, disciplina, coragem e dedicação em aprender e colocar em prática, tanto a parte técnica quanto a filosofia de virtudes do praticante desta arte, fizeram do Sr. Vila Nova, nosso primeiro, dos muitos atletas a alcançar esta nova fase”, afirma Deives Vidart.

Já o novo faixa preta, Pedro Vila Nova, em sua mensagem, falou especialmente aos seus alunos, jovens na idade entre 7 e 12 anos, da turma Kids da ATA Pedra Branca, na qual é instrutor ao lado do professor Deives. “A faixa preta não é algo que está na cintura. É algo que está no coração, nas atitudes. Há 10 anos eu percorro este caminho. E ser faixa preta é isso, definir o seu objetivo e ir em busca dele. Eu queria muito isso e hoje estou aqui. Cada um de vocês tem um potencial incrível, e juntos vamos descobrir e trabalhar”, afirmou.

Ele também agradeceu a família, ao seu professor Deives e aos mestres e amigos com os quais teve a oportunidade de se relacionar ao longo desta tragetória. “Quando a gente vai para um campeonato, não é só para competir, é uma troca gigantesca de conhecimentos e de experiências. É fazer novos amigos. É ouvir os mestres e dar o melhor de nós. Isso já nos faz um vencedor”, concluiu Vila Nova.

O evento graduou mais de 40 alunos desta arte marcial milenar que é o taekwondo. Deives Vidart segue firme com sua missão de formar seres humanos melhores, já que o exame de faixa é uma forma de identificar se o aluno está preparado ou não, tanto em suas habilidades como em sua conduta dentro e fora do tatame, rumo a tão sonhada Faixa Preta.

Ao encerrar as atividades, uma mensagem final que simboliza o caminho que cada um dos alunos está trilhando. “Taekwondo Songahm é uma “viagem” para ser apreciada, saboreada e curtida ao máximo. Admire sua graduação, afinal ela é a prova da conquista de sua meta. E você, Sr. Vila Nova, saiba que ser Faixa Preta é só o começo desta nova jornada.”, concluiu Deives Vidart.

 

O sistema de graduação

No Taekwondo existem nove graduações a nível de faixas coloridas: branca, laranja, amarela, camuflada, verde, roxa, azul, marrom e vermelha.

Uma faixa que antecede a faixa preta 1º Dan (nível de faixas pretas) decidido que pode ou não ser considerada colorida (em competições), esta é a faixa vermelha e preta ou 1º Dan recomendado.

Após chegar a faixa preta 1º Dan decidido segue a sequência de números: 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 9º Dan, caminho este que Pedro Vila Nova começa a trilhar.

Para tornar-se professor, como Deives Vidart, ele precisará conquistar o 4º Dan

Cada faixa tem um significado, um conhecimento e uma sequência de movimentos chamados poome-sae (fórmula). E todas as faixas são separadas por geup (graus), onde começa pelo maior número decimal existente o 9.

Pedro Vila Nova e o professor Deives Vidart

 

Pedro Vila Nova e sua família

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*